Hogwarts Hollow Years
Sejam muito bem vindos à reabertura da grande escola de Magia e Feitiçaria, Hogwarts.
Quem está conectado
1 usuário online :: Nenhum usuário registrado, Nenhum Invisível e 1 Visitante

Nenhum

[ Ver toda a lista ]


O recorde de usuários online foi de 9 em Dom Ago 30, 2015 11:03 pm
Últimos assuntos
» Salão Principal.
Qua Abr 18, 2012 7:43 am por Primrose Rinaldi

» Apresente-se
Sab Abr 14, 2012 9:25 am por Primrose Rinaldi

» Chat Off
Dom Abr 08, 2012 8:15 pm por Enoque Kauffman

» Chapéu Seletor (Fichas)
Qui Abr 05, 2012 8:48 pm por Gabrielly L. Way

» Parcerias
Qua Abr 04, 2012 9:33 am por Primrose Rinaldi

» Sorveteria Florean Fortescue
Seg Abr 02, 2012 1:33 pm por Enoque Kauffman

» Varinhas Olivaras
Seg Abr 02, 2012 7:43 am por Primrose Rinaldi

» Sugestões, Críticas e Dúvidas
Dom Abr 01, 2012 12:59 pm por Enoque Kauffman

» O Caldeirão Furado
Dom Abr 01, 2012 4:13 am por Enoque Kauffman

Copa das Casas
0 0
0
0

Listas de Animais Mágicos- A-F

Ir em baixo

Listas de Animais Mágicos- A-F

Mensagem por Admin em Dom Mar 25, 2012 2:34 pm

R P G • HogwartsHollowYears


― Você encontra a lista completa de animais mágicos aqui.


O Departamento para Regulamentação e Controle das Criaturas Mágicas classifica todos os animais, seres
e espíritos conhecidos, oferecem assim um guia imediato para a periculosidade conhecida da criatura. As cinco classes são as seguintes:

XXXXX - Mata bruxos / Impossível treinar ou domesticar
XXXX - Perigoso / Exige conhecimento especializado / bruxo perito pode enfrentar
XXX - Bruxo competente pode enfrentar
XX - Inofensivo / Pode ser domesticado
X - Tedioso


Lista de A - F:


ACROMÂNTULA (ACROMANTULA)
Classificação M.M. : XXXXX
A acromântula é uma aranha monstruosa de oito olhos e dotada de fala humana. É originária de Bórneu, onde habita a mata fechada. Suas características incluem pêlos negros e grossos que lhe cobrem o corpo; as pernas têm uma envergadura que pode abranger ate quatro metros e meio; as pinças produzem um estalido distinto quando ela se excita ou se irrita; e, finalmente, produz uma secreção venenosa e tece teias abobadadas no solo. A acromântula é carnívora e prefere presas de grande porte. A fêmea ;e maior que o macho e pode pôr até cem ovos de cada vez. Macios e brancos, eles têm o tamanho de uma bola inflável de piscina. Os filhotes nascem de seis a oito semanas após a postura. Os ovos de acromântula são classificados como Artigos Não Comerciáveis Classe A pelo Departamento para Regulamentação e Controle das Criaturas Mágicas, o que significa que sua importação ou venda é punida com severidade. Acredita-se que esse animal foi desenvolvido por bruxos, possivelmente com a finalidade de guardar suas casas ou tesouros, como acontece com a maioria dos seres criados por meio de magia. Apesar de sua inteligência quase humana, a acromântula, no entanto, não é treinável e oferece extremo perigo a bruxos e trouxas.
Os boatos de que uma colônia desses animais teria se formado na Escócia não foram confirmados.

AGOUREIRO (AUGUREY)
Também conhecido como Irish Phoenix (fênix irlandesa)
Classificação M.M.: XX
O agoureiro (augurey) é nativo da Grã-Bretanha e da Irlanda, embora por vezes seja encontrado em outros países do norte europeu. Pássaro magro e de aspecto tristonho, que lembra um abutre pequeno e malnutrido, o agoureiro é preto-esverdeado. É extremamente tímido, faz ninhos em moitas espinhosas, come grandes insetos e fadas, só voa sob a chuva pesada e, no restante do tempo, fica escondido em seu ninho em feitio de lágrimas. O agoureiro tem um canto baixo e soluçante característico, que antigamente se acreditava anunciar a morte. Os bruxos evitavam os ninhos de agoureiro com medo de ouvir esse som de partir o coração, e acredita-se que mais de um bruxo sofreu um ataque cardíaco ao passar por uma moita e ouvir o lamento de um agoureiro escondido. Com o tempo, porém, pesquisas pacientes revelaram que esse pássaro simplesmente anuncia a aproximação da chuva. Desde então, ele entrou na moda como barômetro caseiro, emborahaja quem ache difícil aturar o seu lamento contínuo durante os meses de inverno. As penas do agoureiro não servem para fazer canetas porque repelem a tinta.

AMASSO (KNEAZLE)
Classificação M.M.: XXX
O amasso (kneazle) foi originalmente criado na Grã-Bretanha, embora seja atualmente exportado para todo o mundo. Um pequeno felinóide com pêlo pintado ou malhado, grandes orelhas e o rabo igual ao de leão, o amasso é inteligente, independente e, por vezes, agressivo, embora quando se afeiçoa a um bruxo ou bruxa ele se torne um excelente bichinho de estimação. O amasso tem uma capacidade excepcional de detectar pessoas suspeitas ou indesejáveis, e seu dono pode confiar que o animal o levará a salvo até a casa se ele se perder. O amasso tem até oito filhotes em uma ninhada e pode cruzar com gatos. É preciso tirar licença para se Ter um animal desses (como no caso dos fiuuns e dos crupes), porque eles têm uma aparência diferente o bastante para atrair o interesse dos trouxas.

ARPÉU (GRAPHORN)
Classificação M.M.: XXXX
O arpéu é encontrado nas regiões montanhosas da Europa. Animal de grande porte, púrpura-acinzentado e provido de corcova, o arpéu tem dois chifres muito longos e afiados, caminha sobre enormes pés de quatro dedos e tem uma natureza extremamente agressiva. Os trasgos montanheses são por vezes vistos montando em arpéus, embora estes animais pareçam não tolerar as tentativas de domá-los, pois é muito comum encontrar um trasgo coberto de cicatrizes feitas por arpéus. Seus chifres moídos são empregados em muitas poções, embora tal ingrediente seja caríssimo dada a dificuldade de obtê-la. O couro é ainda mais grosso que o de um dragão e repele a maioria dos feitiços.

BANDINHO (BUNDIMUN)
Classificação M.M.: XXX
O bandinho (bundimun) é encontrado no mundo inteiro. Ele infesta as casas, perito que é em se infiltrar sob as tábuas do soalho e rodapés. A presença do bandinho em geral é anunciada por um fedor de decomposição. Ele secreta uma substância que pode apodrece até as fundações de habitações em que se encontra. Quando em repouso, o inseto lembra uma mancha de fungo esverdeado dotada de olhos, embora quando se assuste ele fuja com suas numerosas perninhas finas. Alimenta-se de sujeira. Os Feitiços de Limpeza acabam com a infestação de bandinhos em uma casa, mas se seu dono deixou que os insetos proliferassem livremente, ele deverá entrar em contato com o Departamento para Regulamentação e Controle das Criaturas Mágicas (Subdivisão de Pragas) antes que a casa desmorone. A secreção de bandinho diluída é usada para preparar certos fluidos mágicos de limpeza.

BARRETE VERMELHO (RED CAP)
Classificação M.M.: XXX
Essas criaturas anãs vivem em crateras de antigos campos de batalha ou onde quer eu o sangue humano tenha sido derramado. Embora facilmente repelidas com feitiços de azarações, elas oferecem grande perigo aos trouxas que andam sozinhos, a quem tentarão matar de pancadas nas noites escuras. Os barretes vermelhos são encontrados principalmente no norte da Europa.

BASILÍCO (BASILISK)
Também chamado King of Serpents (Rei das Cobras)
Classificação M.M.: XXXXX
O primeiro basilisco e que se tem notícia foi criado por Herpo, o Sujo, um bruxo das trevas de nacionalidade grega e ofidiglota, que descobriu, após muitas experiências, que um ovo de galinha chocado por um sapo produzia uma cobra gigantesca dotada de poderes extraordinariamente perigosos O basilisco é uma cobra verde-vivo que pode alcançar quinze metros de comprimento. O macho tem uma pluma vermelha na cabeça. Suas presas são excepcionalmente venenosas, mas seu órgão de ataque mais poderoso são os grandes olhos amarelos. A pessoa que o encara sofre morte instantânea. Se a fonte de alimentos é suficiente (o basilisco come mamíferos e aves e a maioria dos répteis), ele pode atingir uma idade avançada. Acredita-se que o espécime de Herpo, o Sujo, viveu quase novecentos anos. A criação foi declarada ilegal desde a época medieval, embora a prática seja facilmente dissimulável, pois basta remover o ovo de galinha do choco do sapo quando o Departamento para Regulamentação e Controle das Criaturas Mágicas aparece à porta. Contudo, umavez que os basiliscos não são controláveis, exceto por ofidiglotas, eles oferecem tanto perigo à maioria dos bruxos das trevas quanto a qualquer outra pessoa.

BESOURO-DA-MELANCOLIA (GLUMBUMBLE)
Classificação M.M.: XXX
O besouro-da-melancolia (glubumblee), norte da Europa é um inseto voador, cinzento, de corpo peludo; produz uma secreção que induz a melancolia e é usado como antídoto para a histeria causada pela ingestão das folhas de aliquente. Sabe-se que esse besouro pode infestar colméias com efeitos desastrosos para o mel. Ele faz ninho em lugares escuros e protegidos tais como o oco das árvores e grutas. Alimenta-se de urtigas.

BEZERRO APAIXONADO (MOONCALF)
Classificação M.M.: XX
O bezerro apaixonado (mooncalf) é um animal extremamente tímido que sai da toca apenas em noites de lua cheia. Tem o corpo liso e cinza-claro, olhos redondos e salientes no cocuruto da cabeça e quatro perninhas finas que terminam em enormes pés chatos. O bezerro apaixonado executa complicadas danças, apoiado nas patas traseiras, em áreas ermas e banhadas de luar. Acredita-se que sejam um prelúdio ao acasalamento (e muitas vezes seus movimentos deixam intricados desenhos geométricos nos campos de trigo para grande perplexidade dos trouxas). Assistir ao bezerro apaixonado dançar ao luar é uma experiência fascinante e, muitas vezes, proveitosa porque se i seu excremento prateado foi recolhido antes do sol nascer e espalhado sobre canteiros de ervas mágicas e de flores, as plantas crescerão rapidamente e se tornarão muito resistentes. Os bezerros apaixonados são encontrados no mundo inteiro.

BRIBA (MOKE)
Classificação M.M.: XXX
A briba (moke) é um lagarto verde-prateado que atinge até vinte e cinco centímetros de comprimento e é encontrado por todo a Grã-Bretanha e a Irlanda. Tem a capacidade de se encolher quando quer e, conseqüentemente, nunca é vista pelos trouxas. O couro de briba é muito valorizado pelos bruxos para a confecção de carteiras e bolsas pois a pele escamosa se contrai à aproximação de estranhos, do mesmo modo que fazia seu antigo dono; as bolsas de dinheiro feitas de couro de briba são portanto muito difíceis de serem encontradas pelos ladrões.

CARANGUEJO-DE-FOGO (FIRE CRAB)
Classificação M.M.: XXX
Apesar do seu nome, o caranguejo-de-fogo (fire crab) é muito semelhante a uma grande tartaruga com uma carapaça cravejada de pedras preciosas. Em sua terra de origem, as ilhas Fiji, uma faixa do litoral foi transformada em reserva para protegê-lo não apenas dos trouxas, que poderiam ser tentados por sua carapaça valiosa mas também dos bruxos inescrupulosos que usam as carapaças como caldeirões muito procurados. O caranguejo -de-fogo, no entanto, tem um mecanismo de defesa próprio: expele chamas pelo rabo quando atacado. Ele é exportado como animal de estimação mediante uma licença especial.

CAVALO ALADO (WINGED HORSE)
Classificação M.M.: XX-XXXX
Os cavalos alados existem no mundo inteiro. Há diferentes raças, entre elas a Abraxama (um palomino enorme e forte), a Etoniana (castanha, popular na Grã-Bretanha e na Irlanda), a Graniana (cinzento e muito veloz) a Testrália (negra, dotada do poder da invisibilidade e considerada portadora de azar por muitos bruxos). Tal como no caso do hipogrifo, exige-se que o dono de um cavalo alado lance sobre ele, periodicamente, um Feitiço Desilusório (veja Introdução).

CAVALO-DO-LAGO (KELPIE)
Classificação M.M.: XXXX
Esse demônio aquático da Grã-Bretanha e da Irlanda pode assumir vária formas, embora na maioria das vezes apareça como um cavalo com crineira de folhas de tabua. Depois de atrair os incautos para montá-lo, ele mergulha direto ao fundo do rio ou lago e devora o cavaleiro deixando suas tripas boiando à superfície. A maneira correta de dominar um cavalo-do-lago é passar as rédeas por cima de sua cabeça com um Feitiço de Colocação que o torne obediente e manso. O maior cavalo -do-lago do mundo encontra-se no lago Ness, Escócia. Assume, de preferência, a forma de uma serpente marinha. Os observadores enviados pela Confederação Internacional de Bruxos perceberam que não estavam lidando com uma serpente verdadeira quando a viram transforma-se em uma lontra à aproximação de uma equipe de investigadores trouxas e, em seguida, voltar à forma anterior quando eles partiram.

CAVA-CHARCO (DUGBOG)
Classificação M.M.: XXX
O cava-charco (dugbog) é um habitante dos brejos da Europa e das Américas do Norte e do Sul. Lembra um pedaço de madeira sem vida quando está parado, embora a um exame atento revele patas com nadadeiras e dentes muito afiados. Desloca-se pelos brejos, alimentando-se principalmente de pequenos mamíferos e produz graves ferimentos nos tornozelos das pessoas que andam por ali. A comida favorita do cava-charco, porém, é a mandrágora. Já houve gente que cultivou essa planta que, ao levantar uma folha de suas valiosas mandrágoras, encontrou os restos sangrentos em conseqüência da visita de um cava-charco.

CENTAURO (CENTAUR)
Classificação M.M.: XXXX
O centauro recebe uma classificação XXXX não porque seja excessivamente agressivo, mas porque deve ser tratado com grande respeito. O mesmo se aplica a sereianos e unicórnios. O centauro tem cabeça, tronco e braços humanos ligados a um corpo de cavalo cujo colorido varia. Inteligente e dotado de fala humana, a rigor, não deveria ser chamado de animal, mas a seu próprio pedido foi assim classificado pelo Ministério da Magia. O centauro habita a floresta. Acredita-se que ele teve origem na Grécia, embora haja atualmente comunidades desses animais em várias partes da Europa. As autoridades bruxas em cad a país em que há centauros destinaram a eles áreas em que não serão incomodados pelos trouxas; porém, eles não têm grande necessidade de proteção bruxa, pois contam com recursos próprios para se esconder dos humanos. O modo de vida do centauro é envolto em mistério. Geralmente, eles têm tanta desconfiança de bruxos quanto de trouxas e, na realidade, parecem não fazer grande diferença entre os dois. Vivem em rebanhos que reúnem de dez a cinqüenta membros e gozam da reputação de entender de cura mágica, adivinhação, manejo do arco e astronomia.

CINZAL (ASHWINDER)
Classificação M.M.: XXX
O ashwinder (cinzal) se forma quando se permite que um fogo mágico arda livremente durante muito tempo. Uma cobra fina, cinza-claro, de olhos rutilante, surgirá das brasas desse fogo e rastejará para as sombras da habitação em que se encontra deixando um rastro de cinzas atrás de si. O cinzal vive apenas uma hora, tempo usado para procurar um lugar escuro e protegido e ali depositar seu ovos, depois do que ele vira pó. Os ovos são vermelho-vivo e liberam um intenso calor. Podem incendiar uma habitação em minutos se não forem encontrados e congelados com um feitiço apropriado. O bruxo que perceber que há um ou mais cinzais soltos em casa deve procurar rastreá-los imediatamente e localizar a ninhada de ovos. Uma vez congelados, os ovos são muito valiosos para o preparo de Poções de Amor e podem ser comidos inteiros como remédio para a malária. Os cinzais são encontrados no mundo inteiro.

CONSTRUCTO (GOLEM) [Novo]
Classificação M.M.: XXX-XXXXX
Os constructos são especialmente transfigurados. Constructos são objetos que ganham vida por magias transfiguratórias, extremamente resistentes, fortes e determinados, sendo a maioria muito lenta. Quando uma armadura, cadeira, ármario ou qualquer outro objeto ganha vida é denominada um constructo. A maioria dos constructos são imunes à magia, nenhum feitiço ou transfiguração tem efeito com eles, apenas se disser que funciona com objetos.
Um Constructo é fruto de décadas de trabalho e pode ser feito de diferentes formas, o mais famoso no mundo dos trouxas foi denominado como "monstro", sendo criado pelo Doutor Frankestein. Um Golem é construído com dedicação, esforço e esmero, e dispendia uma fortuna em investimento, já que suas propriedades são complexas e suas partes caras e encantamentos precisam de componentes raros. Constructos são subordinados aos seus criadores por vínculos mágicos, apenas o criador pode lhe dar ordens ou decidir quem pode lhe dar ordens além dele.
Caso o seu criador morra, o constructo se torna inútil. Constructos podem ter diversas formas e tamanhos, os mais comuns são os humanóides e similares a objetos comuns.
Constructos tem a influência da transfiguração que lhes afetou e depois voltam a ser objetos comuns. Constructos foram feitos com rituais, runas, medidas aritmânticas e transfiguração poderosa, sendo "imortais".

CHIZÁCARO (CHIZPURFLE)
Classificação M.M.: XX
O chizpurfle (chizácaro) é um pequeno parasita de até um milímetro e meio de altura com a aparência de um caranguejo e dotado de grandes presas. É atraído pela magia e pode infestar o pêlo e as penas de criaturas como os crupes e agoureiros. Penetra também a habitação de bruxos e ataca objetos mágicos tais como varinhas, que ele rói gradualmente até o cerne mágico, ou então se instala em caldeirões sujos, onde engole qualquer restinho de poção. Embora o chizácaro possa ser eliminado facilmente com qualquer das poções patenteadas à venda no mercado, várias infestações podem exigir uma visita da Subdivisão de Pragas do Departamento para Regulamentação e Controle das Criaturas Mágicas, pois o chizácaro quando inchado por substâncias mágicas torna-se muito difícil de combater. Na ausência de magia, sabe-se que os chizácaros atacam objetos elétricos por dentro. As infestações de chizácaros explicam os defeitos intrigantes de muitos artefatos elétricos trouxas relativamente novos.

CLABERTO (CLABBERT)
Classificação M.M.: XX
O clabbert (claberto) é um criatura arbórea, que lembra uma cruza de mico com sapo. Teve origem no sul dos Estados Unidos, embora há muito tempo tenha sido exportado para o mundo inteiro. Sua pele lisa e sem pêlos é malhada de verde, as mãos e os pés são palmados e os braços e pernas longos e flexíveis, o que permite ao bicho se balançar de um galho para outro com a agilidade de um orangotango. Sua cabeça tem pequenos chifres e uma boca larga, que parece estar rindo, cheia de dentes afiados como uma navalha. O animal alimenta-se principalmente de pequenos lagartos e aves. Sua característica marcante é uma enorme pústula no maio da testa eu fica vermelha e faísca quando o bicho percebe um perigo. No passado, os bruxos americanos mantinham clabertos em seus jardins para dar sinal antecipado da aproximação dos trouxas, mas a Confederação Internacional dos Bruxos criou multas que reduziram muito tal prática. A visão à noite de uma árvore cheia de pústulas brilhantes, embora decorativa, atraía muitos trouxas querendo saber por que seus vizinhos continuavam a acender os enfeites de Natal em junho.

CRUPE (CRUP)
Classificação M.M.: XXX
O crupe é originário do sudeste da Inglaterra e é muito parecido com um terrier , exceto pelo rabo bifurcado. É quase certo que seja um cão criado por magia porque é muito leal aos bruxos e feroz com os trouxas. É um grande comedor de refugo, ingere qualquer coisa desde gnomos a pneus velhos. A licença para se Ter um crupe pode ser obtida no Departamento para Regulamentação e Controle das Criaturas Mágicas após um simples exame para comprovar que o bruxo interessado é capaz de controlar o animal nas áreas habitadas por trouxas. O dono é também obrigado por lei a cortar o rabo dele, com um Feitiço de Corte indolor, entre a Sexta e a oitava semana de vida para que o crupe não chame a atenção dos trouxas.

DEDO-DURO (JOBBERKNOLL)
Classificação M.M.: XX
O jobberknoll (dedo-duro)(encontrável ao norte da Europa e nas Américas) é uma minúscula ave azul, toda sarapintada, que se alimenta de pequenos insetos. Não produz som algum até a hora de morrer quando deixa escapar um grito longo formado por todos os sons que ouviu durante a vida, regurgitados de trás para frente. As penas do dedo-duro são usadas em Soros da Verdade e Poções da Memória.

DIABINHO (IMP)
Classificação M.M.: XX
O imp (diabinho) só é encontrado na Grã-Bretanha e na Irlanda. Por sua vez é confundido com o diabrete. Os dois têm a mesma altura (entre quinze e vinte centímetros), embora o diabinho não seja capaz de voar como o diabrete e nem seja tão colorido (o diabinho normalmente varia de marrom-escuro a preto). No entanto, ambos têm o mesmo senso de humor grotesco. Seu terreno preferido é úmido e pantanoso, e com freqüência é visto próximo às margens de rios onde se diverte empurrando e fazendo tropeçar os incautos. O diabinho se alimenta de pequenos insetos e tem hábitos de acasalamento muito semelhantes aos das fadas, embora não teça casulos; seus filhotes nascem totalmente formados com cerca de dois centímetros e meio de altura.

DIABRETE (PIXIE)
Classificação M.M.: XXX
O diabrete (pixie) é encontrado principalmente na Cornualha, uma região inglesa. De cor azul-elétrico, medindo até vinte centímetros de altura e muito travesso, ele gosta de pregar peças e fazer brincadeiras de mau gosto de todo o tipo. Embora não seja dotado de asas, é capaz de voar e sabe-se que pode agarrar humanos incautos pelas orelhas e levá-los para o topo de árvores e edifícios de grande altura. O diabrete fala uma algaravia aguda que só é compreendida pelos seus iguais. Este animal gera seus filhotes.

DILÁTEX (PLIMPLY)
Classificação M.M.: XXX
O dilátex (plimpy) é um peixe esférico e sarapintado que se caracteriza por duas longas pernas que terminam em pés palmados. Habita os lagos profundos cujos leitos ronda à procura de alimento, preferindo lesmas-d'água. O dilátex não é particularmente perigoso, embora roa os pés e as roupas dos nadadores. É considerado uma praga pelos sereianos, que se livram dele dando nós em suas pernas elásticas; o dilátex é, então, carregado embora pela correnteza e sendo incapaz de se orientar não consegue voltar até ser desamarrado, o que leva horas.

DUENDE IRLANDÊS (LEPRECHAUN)
Por vezes também chamado Clauricorn (Clauricorne)
Classificação M.M.: XXX
Mais inteligente do que uma fada e menos malicioso do que o diabinho, o diabrete ou fada mordente, ainda assim o leprechaun , que é um duende Irlandês, atinge até um metro e meio de altura e sua cor é verde. Sabe-se que é capaz de criar roupas rústicas com folhas. É a única das "pequenas criaturas" dotada de fala, embora nunca tenha solicitado sua reclassificação como "ser". O leprechaun gera seus filhotes e habita principalmente as matas e áreas silvestres. Eles gosta de atrair a atenção dos trouxas e, em conseqüência, aparece com tanta freqüência quanto a fada na literatura infantil de língua inglesa. O duende irlandês produz uma substância que parece ouro mas desaparece após algumas horas para seu grande divertimento. Alimenta-se de folhas e, apear de Ter reputação de pregar peças, nunca se soube que tivesse prejudicado um humanos de modo permanente.

DRAGÃO (DRAGON)
Classificação M.M.: XXXXX
O dragon (dragão), provavelmente o animal mágico mais famoso do mundo, encontra-se entre os mais difíceis de esconder. A fêmea é em geral maior e mais agressiva do que o macho, embora ninguém deva se aproximar de nenhum dos dois exceto os bruxos com aptidão e treinamento excepcionais. O couro, o sangue, o coração, o fígado e o chifre do dragão têm grandes propriedades mágicas, mas seus ovos são considerados Artigos Não Comerciáveis Classe A. Existem dez espécies de dragão, embora se saiba que elas ocasionalmente se entrecruzam produzindo híbridos raros. Os dragões puros-sangues são os seguintes:

BARRIGA-DE-FERRO UCRANIANO (UKRAINIAN IRONBELLY)
A maior raça de dragões conhecida, o Barriga-de-ferro (Ironbelly) pode atingir seis toneladas de peso. Rotundo e mais lento no vôo do que o dente-de-víbora e o chifres-longos, o barriga-de-ferro é, ainda assim, extremamente perigoso, capaz de esmagar habitações sobre as quais aterrissa. Suas escamas são cinza-metálico, os olhos de um vermelho forte e as garras particularmente longas e cruéis. A espécie tem sido objeto de constante observação por parte das autoridades bruxas ucranianas desde que um barriga-de-ferro arrebatou um barco no mar Negro, em 1799.

CHIFRES-LONGOS ROMENO (ROMANIAN LONGHORN)
O Chifres-longos (Longhorn) tem escamas verde-escuras e longos chifres dourados faiscantes com os quais ele fura sua presa antes de assá-la. Quando moídos, os chifres desse dragão se tornam muito valiosos como ingredientes de poções. O território nativo dos chifres-longos foi recentemente transformado na reserva de dragões mais importante do mundo, onde os bruxos de todas as nacionalidades estudam de perto as raças de dragões. O chifres-longos tem sido objeto de intenso programa de reprodução porque sua população diminuiu tanto nos últimos anos, em grande parte devido ao comércio de seus chifres, que eles se tornaram Artigos Comerciáveis Classe B.

DENTE-DE-VÍBORA PERUANO (PERUVIAN VIPERTOOTH)
É o menor dos dragões conhecidos e o mais veloz em vôo. Com cerca de quatro metros e meio de comprimento apenas, o Dente-de-víbora peruano (Peruvian vipertooth) tem escamas lisas acobreadas e marcas negras na crista. Os chifres são curtos e as presas particularmente venenosas. O dente-de-víbora alimenta-se sem hesitar de cabras e vacas, mas gosta tanto de humanos que a Confederação Internacional de Bruxos foi forçada a enviar exterminadores ao Peru, no fim do século XIX, para reduzir a população de dragões que estava crescendo com rapidez assustadora.

DORSO-CRISTADO NORUEGUÊS (NORWEGIAN RIDGEBACK)
O Dorso-cristado norueguês (Norwegian ridgebak) lembra o rabo-córneo na maioria de suas características, mas ao contrário de cornos no rabo, o dorso cristado tem cristas bastante salientes e negras por todo o dorso. Excepcionalmente agressivo com os de sua espécie, o dorso-cristado é hoje em dia uma das raças mais raramente criadas. Sabe-se que ataca a maioria dos mamíferos terrestres de grande porte e, o que é incomum para um dragão, também se alimenta de criaturas marinhas. Um relato não confirmado conta que um dorso-cristado capturou um filhote de baleia nas costas da Noruega em 1802. Os ovos deste dragão são pretos e os filhotes desenvolvem a capacidade de expelir labaredas mais cedo do que os de outras raças (entre um e três meses).

FOCINHO-CURTO SUECO (SWEDISH SHORT-SNOUT)
O Focinho-curto sueco (Swedish short-snout) é um belo dragão azul-prateado cuja pele é muito procurada para confecção de luvas e escudos de proteção. As labaredas que saem de suas narinas são azul-brilhante e podem reduzir madeiras e ossos a cinzas em questão de segundos. O focinho-curto é responsável por um número menor de mortes humanas do que a maioria dos dragões, mas como prefere viver em áreas montanhosas despovoadas e selvagens, esse dado pouco significa.

METEORO-CHINÊS (CHINESE FIREBALL)
Também conhecido como Dragão leonino (Liondragon). O único dragão oriental tem uma aparência particularmente vistosa. Vermelho, com escamas lisas, ele apresenta uma franja de cristas douradas em volta do focinho arredondado e olhos muito saltados. O meteoro-chinês recebeu este nome por causa das labaredas em forma de cogumelo que saem de suas narinas quando o irritam. Pesa entre duas e quatro toneladas, sendo a fêmeas maior do que o macho. Os olhos são carmim-vivo com pintas douradas, e suas cascas são muito valiosas para a magia chinesa. O meteoro-chinês é agressivo, porém mais tolerante com a própria espécie do que a maioria dos dragões, consentindo por vezes em dividir seu território com outros dois dragões. Banqueteia-se com a maioria dos mamíferos, embora prefira porcos e humanos.

NEGRO DAS ILHAS HÉBRIDAS (HEBRIDEAN BLACK)
Este outro dragão nativo da Grã-Bretanha é mais agressivo do que seu correspondente galês. Exige um território de cento e sessenta quilômetros quadrados por dragão. O negro das ilhas Hérbridas alcança nove metros de comprimento, tem escamas ásperas, brilhantes olhos de púrpura e uma carreira de cristas curtas, mas afiadíssimas, ao longo do dorso. Tem asas semelhantes às do morcego, e seu rabo termina em um espigão em forma de flecha. O negro das ilhas Hérbridras se alimenta principalmente de veados, embora se saiba que roube cães de grande porte e até reses. O clã de bruxos MacFsty, que há séculos habita as ilhas Hérbridras, tradicionalmente tem se encarregado da administração dos dragões dessas ilhas.

OLHO-DE-OPALA (ANTIPODEAN OPALEYE)
O Olho-de-opala (Antipodean opaleye) é nativo da Nova Zelândia, embora se saiba que emigra para Austrália quando há uma redução de território em sua terra natal. Ao contrário de outros dragões, ele habita os vales e não as montanhas. Talvez tipo mais belo de dragão, ele tem porte médio (entre duas e três toneladas), escamas nacaradas e olhos iridescentes sem pupilas, donde o seu nome. Produz uma chama vermelho-vivo, embora pelos padrões de comportamento de um dragão ele não seja muito agressivo e raramente mate a não ser que tenha fome. Seu alimento preferido são os carneiros, embora se saiba que também ataca presas maiores. Uma onda de mortes de cangurus em fins de 1970 foi atribuída a um olho-de-opala macho expulso de sua terra natal por uma fêmea dominadora. Seus ovos são cinza-claro e podem ser confundidos com fósseis por trouxas imprudentes.

RABO-CÓRNEO HÚNGARO (HUNGARIAN HORNTAIL)
Como fama de ser a mais perigosa das raças de dragão, o rabo-córneo húngaro tem escamas pretas e aparência de lagarto. Seus olhos são amarelos, os chifres cor de bronze tal como os cornos que cobre o seu longo rabo. O alcance (quinze metros) das labaredas do rabo-córneo é um dos maiores que há. Seus ovos são cor de cimento com uma casca particularmente dura; os filhotes quebram as cascas com os rabos cujos cornos já estão bem desenvolvidos quando eles nascem. O rabo-córneo se alimenta de cabras, carneiros e, sempre que possível, de humanos.

VERDE-GALÊS COMUM (COMMON WELSH GREEN)
O Verde-galês (Welsh green) se confunde com os capins luxuriantes de sua terra natal, embora faça ninho nas montanhas mais altas onde foi demarcada uma reserva para a sua preservação. Apesar do Incidente Ilfracombe, esta raça está entre as que causam menos problemas, preferindo, como o olho-de-opala, caçar carneiros e se empenhar para evitar os humanos, a não ser quando provocado. O verde-galês tem um urro surpreendentemente melodioso que é facilmente reconhecível. Suas labaredas saem em jorros finos e seus ovos são cor de terra, sarapintados de verde.

ELEMENTAL (ELEMENTAL) [Novo]
Classificação pelo M.M.: XXX
Um elemental é formado puramente pelo elemento que o bruxo controla. Pode ser um rato de fogo, um pássaro de água, um cachorro de terra ou um cavalo de ar. Enfeitiçadores que especializaram-se em elementos podem criar elementais sem dificuldades. Elementais podem ter a aparência que o bruxo desejar, mas sua força, rapidez, astúcia e tempo de vida serão decididos pela força do conjurador.
Na natureza existem elementais naturais, quando uma grande concentração mágica se une com grande quantidades de um elemento são criados os elementais, que guardam aquele lugar. Normalmente apenas residem no local criado sem incomodar ninguém, quando alguém invade seu território para maltratar seu elemento ele reage violentamente. Muitos elementais estão no meio dos trouxas, nas reservas naturais, áreas preservadas e parques protegidos. São criaturas lindas e encantadoras, só interagem com trouxas quando sua área é maltratada, mas com bruxos e criaturas mágicas eles interagem dependendo de seu cuidado com a natureza.

ELFO-DA-BAVÁRIA (ERKLING)
Classificação M.M.: XXXX
O elfo-da-bavária teve origem na Floresta Negra, na Alemanha. É maior que um gnomo (uns noventa centímetros em média), tem queixo fino e uma gargalhada que encanta principalmente crianças, a quem ele tenta atrair para longe de seus guardiões a fim de as comer. O controle rigoroso exercido pelo Ministério da Magia alemão reduziu drasticamente as mortes causadas pelos elfos-da-bavária nos séculos mais recentes. O último ataque de que se tem notícia foi ao bruxo Bruno Schmidt, de seis anos de idade, que resultou na morte do elfo quando o bruxinho lhe deu uma forte pancada na cabeça com o caldeirão desmontável do pai.

ERUMPENTE (ERUMPENT)
Classificação M.M.: XXXX
O erumpent (erumpente) é um animal africano, cinzento, de grande porte e força. À distância, esse bicho, que pesa até uma tonelada, pode ser confundido com um rinoceronte. Tem um couro grosso que repele a maioria dos feitiços e maldições, um chifre afiado sobre o nariz e um grande rabo que lembra uma corda. Dá à luz apenas um filhote de cada vez. O erumpente não ataca a não ser provocado pela dor, mas se ele investir contra alguém os resultados são em geral catastróficos. Seu chifre pode perfurar qualquer coisa desde pele até metal e contém uma secreção fluida que faz a coisa ou pessoa injetada explodir. O número de erumpentes não é grande porque os machos causam a explosão uns dos outros durante a temporada de acasalamento. Esses animais são tratados com grande cautela pelos bruxos africanos. Os chifres, rabos e secreção explosiva do erumpente são empregados em poções, embora classificados como Artigos Comerciáveis Classe B (Perigoso e Sujeitos a Rigoroso Controle).

ESFINGE (SPHINX)
Classificação M.M.: XXXX
A esfinge egípcia tem cabeça humana e corpo de leão. Há mais de mil anos ela é usada pelos bruxos e bruxas para guardar tesouros e seus esconderijos secretos. Inteligentíssimo, esse animal te prazer em inventar charadas e quebra-cabeças. Em geral, a esfinge só se torna perigosa quando aquilo que está guardando é ameaçado.

FADA (FAIRY)
Classificação M.M.: XX
A fada é um animal pequeno e decorativo mas de pouca inteligência. É usada ou conjurada com freqüência pelos bruxos para servir de enfeite na decoração e, em geral, habita as matas e os alagadiços. A fada varia de dois centímetros e meio a doze centímetros de altura, tem corpo, cabeça e ombros minúsculos e humanóides, mas também grandes asas como as e um inseto que podem ser transparentes ou multicoloridas conforme sua espécie. A fada é dotada de fraco poder mágico que ela usa para deter predadores tais como o agoureiro. Tem uma natureza rixenta mas, sendo excessivamente vaidosa, torna-se dócil sempre que é chamada a servir de ornamento. Apesar de sua aparência humana, a fada não fala. Usa um zumbido agudo para se comunicar com suas companheiras. A espécie põe cinqüenta ovos de cada vez no verso das folhas. Deles nascem larvas vivamente coloridas. De seis a dez dias depois elas se transformam em casulos, dos quais saem, um mês mais tarde, adultos alados inteiramente formados. Os trouxas têm grande fraqueza por fadas que aparecem numa variedade de contos escritos para as suas crianças. Esses "contos de fadas" falam de seres alados com personalidades distintas e com a capacidade de conversar com humanos (embora na maioria das vezes de forma tão sentimental que dá náuseas). As fadas, conforme são imaginadas pelos trouxas, habitam casinhas minúsculas em corolas de flores, cogumelos ocos e coisas semelhantes. Na maioria das vezes são desenhadas com uma varinha na mão. De todos os animais mágicos pode-se dizer que as fadas têm recebido a melhor cobertura da imprensa trouxa.

FADA MORDENTE (DOXY)
Por vezes chamadas de Biting Fairy
Classificação M.M.: XXX
Muitas vezes a fada mordente (doxy) é confundida com uma fada verdadeira, embora seja uma espécie bem diferente. Como a fada, ela tem uma forma humana minúscula, mas é coberta de pêlos espessos e dotada de dois pares de pernas e braços. As asas da fada mordente são grossas, curvas e brilhantes, muito semelhantes às de um besouro, elas são encontradas em todo norte da Europa e América, preferindo climas frios. Põem até quinhentos ovos de cada vez e os enterram. Os filhotes nascem entre duas e três semanas depois. As fadas mordentes possuem fileiras duplas de dentes afiados e venenosos. É preciso tomar um antídoto quando se é mordido

FAROSUTIL (RUNESPOOR)
Classificação M.M.: XXXX
O farosutil é originário de um pequeno país africano, o Burkina Faso. Serpente
de três cabeças, ele normalmente atinge entre um metro e oitenta centímetros e
dois metros e dez centímetros de comprimento. Laranja berrante com listras
negras, o farosutil é facilmente localizável, razão pela qual o Ministério da Magia de Burkina Faso declarou imapeáveis certas áreas de floresta para seu uso exclusivo. Esse animal, embora em si não seja particularmente agressivo, no passado foi um bichinho de estimação de bruxos das trevas sem dúvida por causa de sua aparência vistosa e intimidante. É aos escritos de ofidiglotas, que criaram e conversaram com essas cobras, que devemos a nossa compreensão dos seus curiosos hábitos. Esses escritos revelam que cada uma das cabeças do farosutil tem uma finalidade diferente. A da esquerda (para o bruxo que está de frente para a cobra) é a que planeja. Decide aonde ele deve ir e o que deve fazer a seguir, a cabeça do meio é a que sonha (o farosutil pode permanecer parado durante dias seguidos, perdido em visões e devaneios gloriosos). A cabeça da direita é a que critica e avalia os esforços das cabeças da esquerda e da direita com um silvo contínuo e irritante. As presas da cabeça da direita são extremamente venenosas. Este animal raramente alcança uma idade avançada uma vez que as cabeças tendem a se atacar mutuamente. É comum ser avistado sem a cabeça da direita porque as outras duas se juntaram para arrancá-la. O farosutil põe ovos pela boca, o único animal mágico capaz desse feito. Os ovos têm imenso valor na produção de poções para estimular a agilidade mental. O mercado negro dos ovos e das próprias cobras floresce há muitos séculos.

FIUUM (FWOOPER)
Classificação M.M.: XXX
O fiuum (fwooper) é uma ave africana com plumagem extremamente colorida; pode ser laranja, rosa, verde-clara ou amarela. Há muitos anos o fiuum fornece penas para canetas de luxo bem como põe ovos com desenhos em cores vivas. A princípio prazeroso, o canto desta ave acaba levando quem o escuta à loucura, por isso ela é vendida com um Feitiço Silenciador que exige um reforço mensal. Seus donos precisam tirar uma licença para tê-la pois a ave deve ser cuidada com responsabilidade.

FURANZÃO (JARVEY)
Classificação M.M.: XXX
O furanzão é encontrado na Grã-Bretanha, Irlanda e América do Norte. Assemelha-se a um furão de grande porte na maioria das espécies, exceto pelo fato de que é capaz de falar. Uma conversa propriamente dita, porém, ultrapassa a capacidade do furanzão, que tende a se limitar a frases curtas (e, em geral, grosseiras) ditas num fluxo contínuo. Ele vive principalmente sob a terra onde persegue gnomos, mas também se alimenta de toupeiras, ratos e outros roedores.

avatar
Admin
Admin
Admin

Mensagens : 136
Data de inscrição : 24/03/2012

Ver perfil do usuário http://hogwartshollowyears.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum